Diário de Viagens e Trabalhos do Pajé
31ago/120

Projeto Sul do Brasil

Posted by Pajé

Salve galera.

Desde quando retornei do Projeto Estrada Real, São Paulo/SP X Diamantina/MG em Outubro de 2011 documentado aqui,  venho planejando uma viagem ao sul do pais, à ser realizada nos mesmos moldes. Sendo assim, surgiu a ideia do Projeto Sul do Brasil. Com o objetivo mais maduro, resolvi detalhar a viagem e planejamento prévio da mesma.

Projeto Sul do Brasil consiste em uma viagem de motocicleta partindo de São Paulo/SP com destino a Cidade de Chuí/RS-Chuy/UR, no ponto mais extremo ao sul do pais.

A proposta é passar por diversas cidades, hospedando em 7 delas, 1 a cada dia e curtindo o clima e estradas, sendo que no trajeto de ida,  seria imprescindível visitar o Rastro da Serpente (Apiaí e Capão Bonito), Pousar em Curitiba/PR (Visitar os irmãos Zapatas e Amigos), subir a Serra do Corvo Branco (sentido Urubici/SC), descer a Serra do Rio do Rastro (Sentido Lauro Muller/SC), visitar a cidade de Gramado/RS no Rio Grande do Sul (E suas atrações),  pousar em Rio Grande/RS ou Pelotas/RS (Para não rodar mais de 500km por dia e dividindo os 600 restantes em 2 dias), e chegando por fim ao Chuí/RS (objetivo do passeio).

Já o retorno se inicia no Chuy (Uruguai), subindo por Rio Grande/RS e São José do Norte/SR (Travessia de Balsa sob a Lagoa dos Patos), subir a BR-101 até Mostardas/RS (Hospedagem), seguir até a cidade de Palhoça/SC (Visitar os irmãos Zapatas) e retornar à São Paulo/SP. No trecho de volta terei 1 dia de sobra que ou vou estender a estadia em Palhoça/SC ou seguirei rumo a Curitiba/PR e ficarei mais 1 dia lá. Vou deixar em aberto para que meu cansaço ou motivação no momento me diga o que fazer ou até mesmo me hospedar em alguma cidade antes devido as condições do tempo, estradas etc.

Agora que já conheço parcialmente o trecho e já estou com o planejamento 90% concluído, resta agilizar a galera, formar o bonde e bora para a estrada.

Abaixo temos o mapa do trajeto e o link de acesso ao Google Maps:

Projeto Brasil do Sul

Link do Maps: http://miud.in/1raS

Fiz uma pequena seleção de fotos dos pontos por onde vou passar... em breve serão as minhas fotos! hehehe

Viva Zapata!!!

24fev/110

Resumão dos últimos 2 meses e pouco…

Posted by Pajé

Fala pessoal.

Desde começo de dezembro que não escrevo nada do Blog, sendo assim resolvi fazer um post contendo os últimos relatos.

Tenho viajado pouco de motocicleta hehehehe. No reveion, fui para a Praia Grande na baixada Santista e passei com familiares. Claro que fui com a Viúva Negra. Na saída de Sampa tudo bem, bom tempo, céu ligeiramente aberto e poucas nuvens, porém, ao passar Billings na Imigrantes o tempo fechou e começou a chuvinha que me acompanhou até a casa dos meus familiares.

No domingo, 02/Jan, parti da Praia Grande com destino à São Paulo Capital, pois iria dormir em casa e no dia seguinte mais uma viagem até Ubatuba- SP.

Segunda-feira, dia 03/Jan, eu acordo ainda com o estomago estragado pois no sábado tinha passado super mal, peguei a motocicleta, passei na Suzuki da Av. Santo Amaro para trocar o óleo e parti novamente. A chuva não dava espaço... Peguei todo o caminho até Ubatuba sob uma chuva ligeiramente forte mas que não chegava a atrapalhar o passeio. Meu caminho neste dia foi Dutra direto até Taubaté e descer pela rodovia Oswaldo Cruz chegando à Praia Grande de Ubatuba. Assim fui e para minha sorte o caminho serrano da Oswaldo Cruz que é bastante sinuoso e íngreme não estava sob chuva, portanto foi ligeiramente tranqüilo.

Semana ótima, diversões no litoral, alguns pontos de ferrugem a mais na Viúva Negra e é chegada a hora de retornar a boa e velha rotina em Sampa. Domingo, dia 09/Jan, dia bonito, um sol de lascar e lá estou eu na estrada novamente. Terminei de subir a serra da Oswaldo e logo avistei no horizonte uma escuridão que não poderia ser outra coisa que não chuva da brava. Segui em diante e quando percebi que não daria mais, parei, coloquei a capa de chuva e “vamo bora”. Foram mais ou menos 50Km de chuva intensa, barreiras quebradas e enxurradas gigantescas no meio da rodovia. Cheguei a pensar em parar e esperar mas pelo visto aquela chuva não ia parar tão cedo e como não tinham muitos carros na estrada, resolvi seguir.

Ai foi só maravilha. Segui em diante com tranquilidade, a chuva fina me acompanhou até a minha casa, mas atingi meu objetivo que era não pegar estrada após o cair da noite.

De volta ao trabalho e rotina em Sampa, tudo tranquilo até o dia 29/Jan, onde realizei junto com o pessoal do Boulevard Owner Group - BOG, uma viagem até a Basílica de Nossa Senhora de Aparecida em Aparecida do Norte-SP.

Neste passeio levei meu sobrinho Danilo para conhecer o universo motociclístico e já começar a despertar o espirito de liberdade no moleque. Um calor infernal dentro roupa de cordura da Tutto, que comprei no fim de semana passado ao da viagem, mas tudo bem. Viagem boa e matei a curiosidade de conhecer a catedral que por incrível que pareca para mim era novidade. Nesse dia dormi em Cachoeira Paulista-SP onde fui em uma festa a fantasia na Cervejaria do Bordo, que diga-se de passagem a cerveja fabricada lá não é nada boa, onde me vesti de mexicano e me diverti bastante com meus sobrinhos, minha irmã e amigos. Domingo a tarde, novamente um puta calor e retorno para São Paulo-SP.

5out/1012

Colete do Boulevard Owners Group… Enfim

Posted by Pajé

Após muito tempo sem muita motivação quanto a andar escudado ou fazer parte de um Moto Clube/Grupo, resolvi fazer parte de um grupo muito bacana... e agora uniformizado de fato.

Mesmo já sendo motociclista de longa data, nunca encontrei em um Motoclube motivação para fazer parte do mesmo. Sempre achei esse negócio de ficar cheio de obrigações, passar por testes e obedecer inúmeras regras um negócio que de certa forma me afastava dos Motoclubes. Gosto de ter a liberdade de escolher quando, com quem e como vou viajar, pois isso que de fato é a liberdade e não fazer por obrigação.

Desde quando comprei a Viúva Negra, conheci o pessoal do BOG (Boulevard Owners Group), através do fórum na Internet, à principio foi somente uma forma de conhecer a motocicleta, obter informações sobre customizações e trocar experiências. Depois de algum tempo, percebi que além dos encontros virtuais, existiam muitas propostas de viagens para vários locais do pais, uma vez que esse fórum tem abrangência nacional.

Entrei no momento exato, pois alguns meses depois haveria um encontro nacional que foi realizado em Curitiba/PR, o 4º BOG Nacionalpos. Lá conheci pessoas fantásticas que não teria como  colocar o nome de todos neste post, porque não caberia é claro hehehe, porém após este encontro foi só aumentando a amizade com os que ali estavam e com outros nos fórum.

Fizemos mais algumas outras viagens e enfim... agora faço mais parte do que antes, pois meu colete ficou ponto. Abaixo estão algumas fotos da nova aquisição:

2ago/102

Peças paralelas ou originais? Qual comprar???

Posted by Pajé

Minha motinha, Burgman AN125, estava com as pastilhas do freio dianteiro bastante gastas e já encostando o ferro no disco. Logo comecei a realizar uma pesquisa nas concessionárias Suzuki de São Paulo. Liguei nas lojas de Interlagos, Santo Amaro, Morumbi e Ibirapuera para orçar as peças, pois aproveitando o ensejo resolvi fazer uma revisão completa nos freios e trocar também o traseiro que devem estar gastos.

Fazendo uma avaliação dos preços, notei que em média eu gastaria:

- Pastilhas: R$42,00
- Patim: R$47,00
- Mão de obra: R$40,00
- Total da revisão: R$129,00

Perfeito. Agora com os preços fui agendar a manutenção. Como a semana passada foi super agitada para mim não consegui cumprir com os agendamentos e como a pastilha já estavam bem gastas, resolvi passar em uma loja de motos que fica perto da minha casa.

Minha reação foi de espanto quando perguntei qual seria o preço das pastilhas e tive como resultado a resposta: "Colocada eu faço 20 reais." Minha resposta imediata, até mediante minha falta de tempo e a marca que estava se formando no disco foi.... Troca... e agora.... hahaha

Enquanto o cara estava colocando as pastilhas novas, que se resume a retirada de dois parafusos  e reencaixe das peças, fiquei me questionando se estava fazendo a coisa certa, pois todos sabemos que peças paralelas normalmente são sinônimos de baixa qualidade.

Bem, vamos analisar. Temos R$ 40,00 X  R$ 129,00, mais ou menos 3 vezes o valor das originais e quanto ao risco de problemas, vamos imaginar que no máximo o que pode acontecer são elas gastarem mais rápido. Veja que eu jamais faria uma comparação dessas se estivéssemos tratando de uma bomba de combustível por exemplo.

Será que não vale mais a pena essas paralelas? Uma vez que se elas tiverem uma vida útil menor que as originais, será que 3 delas não vão durar mais ou pelo menos o mesmo tempo das originais? A manutenção não é cara, mas de 40 para 129 temos uma diferença brutal.

Sendo assim resolvi arriscar. Troquei somente as pastilhas, mas vou passar por lá e trocar os Patims também ainda esta semana e quando tiver uma avaliação mais detalhada da peça quanto a qualidade faço um review. Só o tempo vai dizer se fiz a coisa certa.

Abr@ços do Pajé.