Diário de Viagens e Trabalhos do Pajé
24fev/110

Resumão dos últimos 2 meses e pouco…

Posted by Pajé

Fala pessoal.

Desde começo de dezembro que não escrevo nada do Blog, sendo assim resolvi fazer um post contendo os últimos relatos.

Tenho viajado pouco de motocicleta hehehehe. No reveion, fui para a Praia Grande na baixada Santista e passei com familiares. Claro que fui com a Viúva Negra. Na saída de Sampa tudo bem, bom tempo, céu ligeiramente aberto e poucas nuvens, porém, ao passar Billings na Imigrantes o tempo fechou e começou a chuvinha que me acompanhou até a casa dos meus familiares.

No domingo, 02/Jan, parti da Praia Grande com destino à São Paulo Capital, pois iria dormir em casa e no dia seguinte mais uma viagem até Ubatuba- SP.

Segunda-feira, dia 03/Jan, eu acordo ainda com o estomago estragado pois no sábado tinha passado super mal, peguei a motocicleta, passei na Suzuki da Av. Santo Amaro para trocar o óleo e parti novamente. A chuva não dava espaço... Peguei todo o caminho até Ubatuba sob uma chuva ligeiramente forte mas que não chegava a atrapalhar o passeio. Meu caminho neste dia foi Dutra direto até Taubaté e descer pela rodovia Oswaldo Cruz chegando à Praia Grande de Ubatuba. Assim fui e para minha sorte o caminho serrano da Oswaldo Cruz que é bastante sinuoso e íngreme não estava sob chuva, portanto foi ligeiramente tranqüilo.

Semana ótima, diversões no litoral, alguns pontos de ferrugem a mais na Viúva Negra e é chegada a hora de retornar a boa e velha rotina em Sampa. Domingo, dia 09/Jan, dia bonito, um sol de lascar e lá estou eu na estrada novamente. Terminei de subir a serra da Oswaldo e logo avistei no horizonte uma escuridão que não poderia ser outra coisa que não chuva da brava. Segui em diante e quando percebi que não daria mais, parei, coloquei a capa de chuva e “vamo bora”. Foram mais ou menos 50Km de chuva intensa, barreiras quebradas e enxurradas gigantescas no meio da rodovia. Cheguei a pensar em parar e esperar mas pelo visto aquela chuva não ia parar tão cedo e como não tinham muitos carros na estrada, resolvi seguir.

Ai foi só maravilha. Segui em diante com tranquilidade, a chuva fina me acompanhou até a minha casa, mas atingi meu objetivo que era não pegar estrada após o cair da noite.

De volta ao trabalho e rotina em Sampa, tudo tranquilo até o dia 29/Jan, onde realizei junto com o pessoal do Boulevard Owner Group - BOG, uma viagem até a Basílica de Nossa Senhora de Aparecida em Aparecida do Norte-SP.

Neste passeio levei meu sobrinho Danilo para conhecer o universo motociclístico e já começar a despertar o espirito de liberdade no moleque. Um calor infernal dentro roupa de cordura da Tutto, que comprei no fim de semana passado ao da viagem, mas tudo bem. Viagem boa e matei a curiosidade de conhecer a catedral que por incrível que pareca para mim era novidade. Nesse dia dormi em Cachoeira Paulista-SP onde fui em uma festa a fantasia na Cervejaria do Bordo, que diga-se de passagem a cerveja fabricada lá não é nada boa, onde me vesti de mexicano e me diverti bastante com meus sobrinhos, minha irmã e amigos. Domingo a tarde, novamente um puta calor e retorno para São Paulo-SP.

20mar/100

Férias 2010

Posted by Pajé

Nessas férias fiz um esquema para iniciar após o carnaval. Sendo assim, passei o carnaval em Sampa tranqüilo e no dia 22/02/2010, como em todas as outras férias, parti em direção a Salvador/BA. O objetivo é chegar a microregião de Abaíra/BA. Uma pequena cidade no coração da Chapada Diamantina conhecida pela sua tradicional Cachaça Artesanal.

Saída de Sampa/Guarulhos por volta de 02hs e chegada às 04hs. Translado até a rodoviária e partida as 7hs e 30min rumando ao semi-árido nordestino. Depois de 8hs dentro de um ônibus... ufa.... chegada a Fazenda São José onde fica o sítio da minha família. Lugar espetacular. Tranqüilidade é o lema e minha rotina era acordar qualquer hora, comer frutas tiradas nas árvores e passar o dia observando a paisagem e animais.

Queria muito ter visitado os pontos turísticos da Chapada, como o Pai Inácio, a Cachoeira da Fumaça, as grutas em Pratinha,   mas choveu muito logo acabei desistindo. Terei outras oportunidades e com certeza vai dar certo.

Dentre as idas até a cidade para tomar uma boa e gelada cerveja com meu primo Wilton e visitar a feira livre que acontece todos os sábados, reservei um  dia para visitar um primo, sua mulher e filha que mora em Livramento de Nossa Senhora .

Como tudo que é bom dura pouco, é chegado o triste momento da despedida. Dia 05/03 às 17hs, partimos novamente sentido Salvador/BA. Mas se você pensa que está no fim esse post, está enganado, pois passamos em Seabra/BA antes de chegar em Salvador e comemos uma pizza na casa de uma das minhas primas e dia 06/03 às 8hs chegamos em Salvador/BA, apartamento da minha Prima Zeilde, onde mora sua filha Samile. Iniciamos os passeios em Salvador.

Este dia foi ótimo, após a recepção sensacional de Samile com um maravilhoso café da manhã, fomos todos passear na capital bahiana. Saímos do apartamento, pegamos o "frescão", um ônibus executivo que circula pela região metropolitana, e logo chegamos à região do pelourinho.

Lá resolvemos iniciar o passeio pelo Elevador Lacerda, um comentário que não posso deixar de colocar é: O pessoal sempre me dizia que salvador, esta região, tinha um grande mau cheiro e que mendigos atormentavam sua vida. Uma parte é verdade, pois os mendigos realmente enchem o saco porque são muitos e insistem até você se irritar... mas se irritar mesmo... porém o mau cheiro não é fato. Pelo menos neste dia que eu estive por lá.

Enfim, voltando para a parte boa, bons R$ 0,15 centavos para descer até a cidade baixa e lá visitamos o Mercado Modelo. Esse sim é um local de turistas. Só visitando para ter ideia da quantidade de gringos na capital, e neste mercado estão aos montes. Também não poderia ser diferente, pois todo tipo de apetrechos baianos podem ser encontrado lá, desde berimbaus até fitinhas do Senhor do Bonfim.

Subimos novamente e algo hilário acontece. Fomos abordados por um dos mendigos que por lá circulavam me oferecendo uma fitinha vermelha. Até onde sei, essa fitinha você coloca no braço e faz 3 pedidos, quando a fita se rompe seus pedidos se realizam. Como não acredito nessas coisas, tentei convencê-lo à não ficar com a fitinha e ele insistiu dizendo que não queria cobrar nada e que era um presente. Resolvi deixar ele colocar no meu braço e foi logo falando. "Aeeee, tira uma foto do baiano colocando a fitinha no braço". Que droga, minha família inteira é da Bahia e eu pagando de turista.. enfim, é claro que não teve foto. Terminando ele foi logo dizendo, "me arruma um dinheiro ai", e quando nego ele diz, "mas eu dei a fitinha". O cara vem com um discurso de que é um presente e que não vai cobrar e depois me cobra... hahahaha coisa de louco. Foi embora bem puto da vida como se tivesse perdido tempo comigo.

Continuamos e entramos no pelourinho. Meu como curto conhecer cidades históricas, neste caso um dos bairros de Salvador/BA e lá visitamos a  Igreja da Ordem Terceira de São Francisco. Igreja linda, muito ouro, o ossuário de "todos" da terceira ordem de São Francisco, cerâmicas trazidas de Lisboa que retratam a realidade da cidade na época, o trono de Dom Pedro I e II, imagens em tamanho real de santos da época, roupas etc. Tudo até que bem cuidado. Devem cuidar da manutenção do local com os R$ 3,00 cobrados na entrada da igreja e mais alguma verba extra.

A fome bate, fomos almoçar no restaurante Odoyá, localizado bem na entrada do pelourinho e lá, claro que não poderíamos deixar de comer uma Moqueca de Frutos do Mar deliciosa. Após se empanturrar de tanto comer e de tomar uma Bohemia gelada, que calor estava fazendo, retornamos ao apartamento.

O sono dominou todos nós e caímos no maravilhoso cochilo após as famosas refeições pesadas. Acordamos, comemos mais alguma coisa e dormimos cedo. No dia 08/03, minha prima foi para universidade pois era segunda-feira e sai com minha mãe para caminhar. Caminhamos da Pedra da Sereia até o Farol da Barra. Não sei ao certo, mas acredito que caminhamos mais ou menos uns 16km dentre a ida e volta. Enfim... foi ótimo e ainda teve direito a água de coco e tudo mais. A tarde almoçamos no MC Donalds, shopping Iguatemi, e retornamos ao apartamento passando antes um por um congestionamento... ainda bem que estávamos no frescão.

Enfim um cochilo a mais pois chegando em SP vai ser difícil isso ser fato. É chegada a hora de partir em direção ao aeroporto de Guarulhos/SP e como o voo partiu às 05hs, resolvemos ir para o aeroporto de Salvador/BA por volta das 11hs. Conseguimos uma pechincha no táxi pagando a bagatela de R$ 25,00 de Ondina até o aeroporto, corrida que custa em média R$ 70,00.

A  viagem foi ótima e embora não pude fazer as visitas que tinha programado, consegui descansar bastante e isso já fez valer as férias. Voltando a boa e velha rotina de sempre após as tão esperadas férias longe de tudo e qualquer apetrecho tecnológico que pudesse tirar a minha paz.

Saudações.