Diário de Viagens e Trabalhos do Pajé

Projeto Chamada Diamantina em Junho de 2013

Objetivo: Viajar cerda de 4 mil quilômetros no nordeste brasileiro, passando por Minas Gerais e Bahia.
Data: 09 à 22 de junho de 2012
Motivação: Visitar os parentes que residem na região da Chapada Diamantina-BA, curtir um bom passeio de motocicleta e visitar cidades com rico teor histórico, sendo um dos principais pontos turísticos do Brasil.

Distância Percorrida (todos os trechos): 4.082,4 Km
Tempo aproximado de viagem: 2 Semanas
Gasto aproximado de Pedágio (todos os trechos):  Não calculado

Diário do motociclista

Salve irmãos e amigos.

Mais uma parte da viagem concluída e sua primeira parte já está documentada. Muito bom estar de férias e ter tempo livre para escrever, separar fotos e vídeos, editar tudo e documentar as viagens realizadas neste Blog. Vamos ao que interessa.20130611_073229.jpg

A viagem tem por objetivo partir de São Paulo-SP, dormir em alguma cidade próxima de Montes Claros-MG, que totaliza algo entre 1000 e 1150 quilômetros de viagem para o primeiro dia de trajeto e no segundo dia finalizada na cidade de Mucugê-BA, cerca de mais 750km de viagem.

Enfim, poucas vezes consigo acordar bem cedo para iniciar a viagem, mas desta vez resolvi repousar cedo e consegui acordar às 5h em ponto. Parti no dia 11/06 cerda de 5:30 e quando o dia estava claro já estava rodando na rodovia Fernão Dias sentido Belo Horizonte-MG. Segui viagem e paradinha básica na divida do estado para tomar um café, estava uma garoa bem fina neste trajeto mas pelo jeito for sorte não sair mais cedo pois pela pista bastante molhada, certeza que choveu muito mais cedo.

20130611_073236.jpgSeguindo pela Fernão, mais uma parada para o café e pão de queijo básico, depois de algumas horas almoço,  seguindo viagem sem mais delongas. Esse traçado, por se tratar de uma 1800km em dois dias e sendo que precisaria dormir um pouco para descansar, foi marcado por paradas curtas sendo somente para abastecer, tomar um café, comer algo e seguir viagem minutos depois. Nada de ficar enrolando ou parando a cada posto. Cada parada durava em média 20 minutos sendo que para o almoço uns 40min. A moto ajudou bastante pois a autonomia era de cerca de 300km o que otimizava as paradas.

Após o almoço, a viagem segue sentido Curvelo-MG, pela BR-040 e depois sentido Montes Claros-MG, agora já pela BR-135. Este dia terminou por volta de 19h, já a noite pois como estamos no inverno, os dias estão mais curtos e após as 18:10 a noite já havia caído e foi necessário parar para repousar, a final foram 1004km rodados e já estava bem cansado.

20130612_061727.jpgParada na cidade de Bocaiúva-MG, pernoitei no Hotel no centro da cidade chamado Terra Nostra. Bom hotel, bem localizado e bastante movimentado por viajantes que estavam à trabalho na sua maioria. Enfim, após um banho, janta no restaurante e algumas canecas de chopp após, acabei voltando para descansar. Afinal no dia seguinte teria um bom trajeto para passar e ainda mais levando em consideração que nesta parte as estradas são mão dupla e com alto nível de dificuldade por conta dos diversos trechos sinuosos.

20130612_084341.jpgSeguindo para a divisa dos estados de Minas Gerais e Bahia, almoço na primeira cidade baiana chamada Urandi-BA, abastecimento e seguindo sentido a cidade de Brumado-BA passando por cidades menores com destino a cidade de Mucugê-BA. Ao chegar na cidade de Suçuarana-BA, parada rápida para o café e comer um pouco e sem perca de tempo já segui para a cidade de Barra da Estiva-BA.20130612_124644.jpg

Agora começa a parte complicada desta viagem. Quando partia de Barra da Estiva-BA, percebi no inicio da subida da serra uma grande concentração de nuvens e chuva. Coloquei a capa de chuva se continuei, mas já era algo em torno de 17:30 e o anoitecer já sinalizava. Ao iniciar a subida da serra e o cair da noite, começou a neblina, chuva relativamente fraca mas o suficiente para deixar a visibilidade super baixa. Ainda restava cerca de 130km que foram concluídos em 2h sob uma situação bastante perigosa. Mesmo assim segui e cheguei na cidade de Mucugê-BA, descansei e resolvi ficar mais um dia na cidade pois cheguei mais tarde do que o planejado.20130612_155749.jpg

Nesta cidade fiquei instalado na casa do meu primo Lairton e sua esposa Marinélia, aos quais agradeço desde já pela estadia e receptividade fantástica, na quarta-feira fui visitar a Fazenda Processo II, que produz café, batata, gado de corte dentre outros itens. A fazenda é enorme e possuí alta tecnologia empregada em todo o processo que basicamente é todo operado por diversas máquinas. O processo de limpeza/lavagem, seleção, embalo até chegar no ponto de transporte das batatas é muito legal de se conhecer, foi muito bacana conhecer essa parte do agronegócio bem como sua rotina. Na volta uma fotinha em frente ao cemitério Brizantino.20130613_141352.jpg

Retornei para a cidade de Mucugê-BA e parti sentido a cidade de Andaraí-BA à tarde. O objetivo foi visitar um cidadão conhecido como Pacó e reside nesta cidade. Ao chegar na frente do da casa do tal Pacó, conheci o senhor de seus 60 anos e apaixonado por veículos motorizados. Esse camarada tem logo na entrada um Jipe de enfeite e ao adentrar ao galpão, vi algo que jamais imaginei ver no meio da Chapada Diamantina. Primeiramente pelo visto ele sempre foi da turma dos Jipeiro, afinal não é a toa que exite um jipe bem na frente da sua casa e dentro escrito “Bahia off road Clube”. Pacó tem uma coleção de motocicletas, começando por uma raridade chamada Valquiria (Valkyrie) da Honda, passando por uma Suzuki Intruder 1500, Yamaha Vmax e outras como Triumph, BMW, Honda, Ducati, diversas Kawazaki e motos off road.20130613_142128.jpg

Retorno passando por um dos pontos mais altos da Chapada, com mais de 1200 metros acima do nível do mar e pelas belas curvas do rio Paraguaçu, que abastece a barragem localizada na região. A noite violão, cantorias e diversas cervejas para alegrar a galera. No dia seguinte, sexta-feira, parti bem cedo sentido à BR-242, passando pelo ponto turístico do Morro do Pai Inácio, pela cidade de Lençóis-BA e seguindo sentido as cidades de Boninal-BA, Piatã-BA e Abaíra-BA que é nosso destino final. A partida foi algo por volta de 9h e quando era 12h já estava adentrando ao município de Abaíra-BA. Antes de chegar na cidade, adentrei sentido zona rural e cheguei enfim na casa da minha vó, destino final desta primeira parte da viagem.20130614_112123.jpg

Essa parte da viagem foi relativamente tranquila, fora o trecho chuvoso entre Barra da Estiva-BA e Mucugê-BA, a viagem boa e sem nenhuma dificuldade ou problema que não foce facilmente contornado.

.

Segue o vídeo do trajeto de ida:

No retorno à São Paulo-SP, segui saindo de Abaíra-BA até a cidade de Jussiape-BA. Esse trajeto é de estrada de terra com 44km, mesmo assim o trecho é bem conservado e vai economizar em torno de 450km e horas de estrada, o que vai me dar mais tempo para curtir a cidadezinha baiana que tanto amo.20130622_060605.jpg

Iniciei o retorno ao nascer do Sol e com o dia claro, peguei os primeiros quilômetros de estrada de terra. A estrada estava ligeiramente boa, sem muitos buracos ou irregularidades e como choveu alguns dias atrás, a poeira estava bem batida, o que não impedia o nuvem de pó quando algum carro passava no sentido contrário.

20130622_074715.jpgEnfim. Segui viagem pela estrada de terra sem nenhum contratempo, passando pela ponte sobre o Rio de Contas, um dos principais da região e enfrentando as “costelas de vaca”, formação que surge nas estradas de terra após a passagem de diversos caminhões pesados. Vou contar que parece que a moto vai desintegrar se passar muito rápido. Cotei esse trecho de aproximadamente 44km em cerca de 2h e segui passando pelas cidades de Jussiapé-BA, Rio de Contas-BA, Livramento de Nossa Senhora-BA, Brumado-BA, onde parei para comer o tradicional salgado com suco natural, muito comum na cidade, Caetité-BA, Ganambi-BA e Urandi-BA. Parei no mesmo local para abastecimento e almoço. Partindo de Uranbi, mais 10km e estaria passando pela divida dos estados Bahia e Minas Gerais.20130622_074749.jpg

Entre as cidades de Rio de Contas-BA e Livramento de Nossa Senhora-BA, existe uma serra chamada Serra das Almas. São aproximadamente 4km de estrada bastante sinuosa pavimentada com asfalto verde. Não conheço muito sobre mas dizem que além de ser um asfalto ecologicamente correto existem poucas estradas pavimentadas com ele no Brasil. Na descida, é possível parar nos mirantes e apreciar a vista da Cacheira do Rio Brumado. Me lembro de ser moleque e passar pela região quando estava sendo pavimentada... bons tempos :D

Seguindo após o almoço leve, senão o sono pega e ai teria um problema, segui sentido Janaúba-MG, parada para o café e depois Montes Claros-MG. Era Sábado, dia de jogo do Brasil e eu estava na estrada. Logo resolvi dormir novamente em Bocaiúva-MG pois assim conseguiria assistir ao segundo tempo do jogo, comer aquela massa na cantina próxima ao hotel que me hospedei na ida e tomar alguns chopes para alegrar a noite. Missão cumprida, já instalado e após a janta, cama para acordar novamente cedo no dia seguinte.20130622_083521.jpg

Acordei no domingão cedo e sai aos primeiros raios de sol, agora sentido Curvelo-MG e Belo Horizonte-MG, onde peguei a Fernão Dias, almoço perto da cidade de Igarapé-MG e seguindo direto para São Paulo-SP. Na chegada à São Paulo-SP, o tradicional transito congestionado próximo à cidade de Atibaia-SP e Mairiporã, sem contar que peguei algo em torno de 20km de chuva próximo à São Gonçalo de Sapucaia-SP.20130622_131314.jpg

Viagem tranquila e sem nenhum contratempo. Moto se comportou perfeitamente e seguiu para a revisão... são mais de 9 mil quilômetros rodados desde Fevereiro/2013, quando comprei a mesma. Vai ser só sucesso essa motoca.

Conclusão: Embora um dos principais objetivos fosse a visita aos parentes, unir a paixão pelas estradas e motociclismo foi sem dúvida a melhor coisa que fiz. Já conhecia boa parte do trajeto, mas tive a oportunidade de fazer novas amizades, conhecer cidades novas, me espantar ao saber que na região existe um colecionador de motocicletas, apreciar a beleza natural da Chapada Diamantina que me encanta a cada nova visita e apreciar a boa cachaça da região bem como o café da cidade de Piatã e hospitalidade que só uma casinha com fogão a lenha pode proporcionar. Não poderia deixar de citar.... Beijos Vó Arlinda... Te amo.

Terminando com o vídeo do retorno à São Paulo-SP:

Equipamentos e Acessórios utilizados:

- Alforjes

Ferramentas
- Kit de ferramentas

Segurança
- Jaqueta e calça de Cordura
- Luvas de couro
- Capacete fechado
- Capa de chuva

Veja a galeria de fotos completa desta viagem:

Até a próxima.

Viva ZAPATA!!!!

 

Comentários (2) Trackbacks (0)
  1. Parabéns ermão, ainda ñ vi todos os videos e ñ li tudo q escreveu mas o bastante q nos falamos dessa viagem sua sei q foi especial, logo mais vamos de Big Trail …

    Forte abraço e viva Zapata !!!

  2. Obrigado irmão…. Viva Zapata!


Leave a comment


*

Trackbacks estão desabilitados