Diário de Viagens e Trabalhos do Pajé
20mar/100

Férias 2010

Nessas férias fiz um esquema para iniciar após o carnaval. Sendo assim, passei o carnaval em Sampa tranqüilo e no dia 22/02/2010, como em todas as outras férias, parti em direção a Salvador/BA. O objetivo é chegar a microregião de Abaíra/BA. Uma pequena cidade no coração da Chapada Diamantina conhecida pela sua tradicional Cachaça Artesanal.

Saída de Sampa/Guarulhos por volta de 02hs e chegada às 04hs. Translado até a rodoviária e partida as 7hs e 30min rumando ao semi-árido nordestino. Depois de 8hs dentro de um ônibus... ufa.... chegada a Fazenda São José onde fica o sítio da minha família. Lugar espetacular. Tranqüilidade é o lema e minha rotina era acordar qualquer hora, comer frutas tiradas nas árvores e passar o dia observando a paisagem e animais.

Queria muito ter visitado os pontos turísticos da Chapada, como o Pai Inácio, a Cachoeira da Fumaça, as grutas em Pratinha,   mas choveu muito logo acabei desistindo. Terei outras oportunidades e com certeza vai dar certo.

Dentre as idas até a cidade para tomar uma boa e gelada cerveja com meu primo Wilton e visitar a feira livre que acontece todos os sábados, reservei um  dia para visitar um primo, sua mulher e filha que mora em Livramento de Nossa Senhora .

Como tudo que é bom dura pouco, é chegado o triste momento da despedida. Dia 05/03 às 17hs, partimos novamente sentido Salvador/BA. Mas se você pensa que está no fim esse post, está enganado, pois passamos em Seabra/BA antes de chegar em Salvador e comemos uma pizza na casa de uma das minhas primas e dia 06/03 às 8hs chegamos em Salvador/BA, apartamento da minha Prima Zeilde, onde mora sua filha Samile. Iniciamos os passeios em Salvador.

Este dia foi ótimo, após a recepção sensacional de Samile com um maravilhoso café da manhã, fomos todos passear na capital bahiana. Saímos do apartamento, pegamos o "frescão", um ônibus executivo que circula pela região metropolitana, e logo chegamos à região do pelourinho.

Lá resolvemos iniciar o passeio pelo Elevador Lacerda, um comentário que não posso deixar de colocar é: O pessoal sempre me dizia que salvador, esta região, tinha um grande mau cheiro e que mendigos atormentavam sua vida. Uma parte é verdade, pois os mendigos realmente enchem o saco porque são muitos e insistem até você se irritar... mas se irritar mesmo... porém o mau cheiro não é fato. Pelo menos neste dia que eu estive por lá.

Enfim, voltando para a parte boa, bons R$ 0,15 centavos para descer até a cidade baixa e lá visitamos o Mercado Modelo. Esse sim é um local de turistas. Só visitando para ter ideia da quantidade de gringos na capital, e neste mercado estão aos montes. Também não poderia ser diferente, pois todo tipo de apetrechos baianos podem ser encontrado lá, desde berimbaus até fitinhas do Senhor do Bonfim.

Subimos novamente e algo hilário acontece. Fomos abordados por um dos mendigos que por lá circulavam me oferecendo uma fitinha vermelha. Até onde sei, essa fitinha você coloca no braço e faz 3 pedidos, quando a fita se rompe seus pedidos se realizam. Como não acredito nessas coisas, tentei convencê-lo à não ficar com a fitinha e ele insistiu dizendo que não queria cobrar nada e que era um presente. Resolvi deixar ele colocar no meu braço e foi logo falando. "Aeeee, tira uma foto do baiano colocando a fitinha no braço". Que droga, minha família inteira é da Bahia e eu pagando de turista.. enfim, é claro que não teve foto. Terminando ele foi logo dizendo, "me arruma um dinheiro ai", e quando nego ele diz, "mas eu dei a fitinha". O cara vem com um discurso de que é um presente e que não vai cobrar e depois me cobra... hahahaha coisa de louco. Foi embora bem puto da vida como se tivesse perdido tempo comigo.

Continuamos e entramos no pelourinho. Meu como curto conhecer cidades históricas, neste caso um dos bairros de Salvador/BA e lá visitamos a  Igreja da Ordem Terceira de São Francisco. Igreja linda, muito ouro, o ossuário de "todos" da terceira ordem de São Francisco, cerâmicas trazidas de Lisboa que retratam a realidade da cidade na época, o trono de Dom Pedro I e II, imagens em tamanho real de santos da época, roupas etc. Tudo até que bem cuidado. Devem cuidar da manutenção do local com os R$ 3,00 cobrados na entrada da igreja e mais alguma verba extra.

A fome bate, fomos almoçar no restaurante Odoyá, localizado bem na entrada do pelourinho e lá, claro que não poderíamos deixar de comer uma Moqueca de Frutos do Mar deliciosa. Após se empanturrar de tanto comer e de tomar uma Bohemia gelada, que calor estava fazendo, retornamos ao apartamento.

O sono dominou todos nós e caímos no maravilhoso cochilo após as famosas refeições pesadas. Acordamos, comemos mais alguma coisa e dormimos cedo. No dia 08/03, minha prima foi para universidade pois era segunda-feira e sai com minha mãe para caminhar. Caminhamos da Pedra da Sereia até o Farol da Barra. Não sei ao certo, mas acredito que caminhamos mais ou menos uns 16km dentre a ida e volta. Enfim... foi ótimo e ainda teve direito a água de coco e tudo mais. A tarde almoçamos no MC Donalds, shopping Iguatemi, e retornamos ao apartamento passando antes um por um congestionamento... ainda bem que estávamos no frescão.

Enfim um cochilo a mais pois chegando em SP vai ser difícil isso ser fato. É chegada a hora de partir em direção ao aeroporto de Guarulhos/SP e como o voo partiu às 05hs, resolvemos ir para o aeroporto de Salvador/BA por volta das 11hs. Conseguimos uma pechincha no táxi pagando a bagatela de R$ 25,00 de Ondina até o aeroporto, corrida que custa em média R$ 70,00.

A  viagem foi ótima e embora não pude fazer as visitas que tinha programado, consegui descansar bastante e isso já fez valer as férias. Voltando a boa e velha rotina de sempre após as tão esperadas férias longe de tudo e qualquer apetrecho tecnológico que pudesse tirar a minha paz.

Saudações.

Comentários (0) Trackbacks (0)

Sem comentários


Leave a comment


*

Sem trackbacks